Carlos Cardoso volta ao Colégio

No dia 14 de abril, no âmbito das palestras «Percursos de Vida», implementadas pela Associação de Antigos Alunos do Colégio de Lamego, Carlos José Vieira Mendes Cardoso, artisticamente conhecido como Carlos Lamego, veio discursar para os alunos do 9.º ao 12.º ano, dando-nos a conhecer um pouco do mundo das artes dramáticas.

Começando o seu percurso no Colégio de Lamego, não foi cedo que revelou a sua paixão pelo teatro, contando-nos um episódio caricato que retratava isso mesmo, passando pela faculdade de Direito de Coimbra, onde descobriu a sua vocação, e, ao fim de 3 anos em Coimbra, mudou-se para Lisboa para fazer o curso de atores e seguir a sua paixão.

Descrevendo-se como um apaixonado pela vida, adorando observar o mundo que o rodeia, Carlos Lamego, em virtude do facto de querer saber mais, enveredou pela sua formação passando pelas mais prestigiosas universidades do mundo, como a de Sorbonne em Paris ou a de Montreal no Canadá. Atualmente, encontra-se a lecionar a cadeira de teatro na UTAD, transmitindo aos seus alunos todos os seus conhecimentos.

Talvez uma das palestras mais originais e divertidas, Carlos Lamego animou-nos com a sua jovialidade e enriqueceu-nos por termos contactado, por breves momentos, com um mundo extrovertido e diferente que, estando ainda envolto em neblina, nos transmitiu boas energias.

Muito obrigada, Carlos Lamego, por esta experiência enriquecedora.

Carolina Queijo 12.º ano

 

 

MATRÍCULAS EM CURSO: 1.º ao 12.º ano de escolaridade

Ensino Secundário - Cursos Científico-Humanísticos

- Curso de Ciências e Tecnologias;

- Curso de Ciências Socioeconómicas;

- Curso de Línguas e Humanidades.

Regime de externato, semi-internato e internato

Vestuário do Colégio

Consulta preços e tamanhos

na secretaria do Colégio

 


Educar Hoje,

A educação consiste em levar o homem a tornar-se cada vez mais homem, a poder ser mais e não só a poder ter mais. Consequentemente, a que, através de tudo o que tem e de tudo o que possui, saiba ser mais plenamente homem com os outros e para os outros.” A semente não germina ou não se desenvolve convenientemente, mesmo sendo boa, quando o ambiente não é propicio ou o encarregado do campo o esquece. A vitalidade da planta vem da semente, mas está condicionada pela terra boa ou má e pelo cuidado de quem a trata. Não depende tanto dos outros como o homem: antes durante e depois do nascimento. O homem, sendo social por natureza, só em sociedade se pode desenvolver como homem.(“O menino selvagem” de Truffaut) Por isso, e este o terceiro aspeto, o ambiente e os educadores que rodeiam o educando têm uma importância incalculável no processo educativo.

Pe. Avelino Silva-OSB

BT Google Maps

Go to top
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com